BI – Sistema de Apoio a Decisão

Postar ambiente disponível / livre sobre BI.

Este item está relacionado com: Internetworked business, intranets; Interface entre relatórios da produção, marketing e finanças. Tomada de decisão através de relatórios gerenciais. Navegação e pesquisa na Internet de software que apresentam Sistemas de Apoio à Decisão / Business Intelligence.

Apresentação e focalização no esforço em utilização das Tecnologias da Informação e Comunicação em organizações como um recurso em Inteligência Competitiva.

9 Respostas

  1. Inteligência e informação competitiva para tomada de decisão

    A voraz e crescente competitividade em mercados altamente avançados pressionado as empresas a adotarem novas estratégias para melhorar a gestão e controle dos negócios.
     
    Diante desse novo desafio, os executivos estão cada vez buscando soluções que permitem acompanhar os resultados em “real time” e imediatamente tomar decisões que podem mudar o rumo de qualquer empresa.
     
    A robustez e a facilidade de uso do Gxplorer maximizam o uso da informação como inteligência de negócios para tomada de decisão.  Com a possibilidade integrar-se aos diferentes Data Warehouses da empresa, o Gxplorer permite que usuários-chave possam construir cenários analíticos e diferentes visões de forma simples, precisa e organizada.
     
    De forma sintética e direta, o Gxplorer é administrado diretamente Microsoft Excel e apresentando resultados imediatos em cada consulta e uma visão completa da empresa, propiciando ao executivo uma poderosa ferramenta de análise e inteligência de negócios.
     
    Diferenciais Gxplorer:
     
    –          Administra todo o ciclo de vida da Data Warehouse
    –          Gerencia automaticamente o processo de mudança nos cubos desenvolvidos
    –          Independente da tecnologia
    –          Possibilita o desenvolvimento incremental
     
     
    Vantagens e Benefícios
     
    –          Implementação de uma solução de business intelligence mais ágil e com TCO do mercado.
    –          Acessibilidade à informação de pela Web
    –          Construção de consultas dinâmicas com uma interface simples e intuitiva do Microsoft Excel.
     
     
    Fonte Genexus : http://www.genexus.com/br/portal/hgxpp001.aspx?10,8,29,O,P,0,MNU;E;34;4;MNU;, 

  2. Business Intelligence – BI
    As soluções de Business Intelligence ou Inteligência de Negócios podem ser consideradas como as estruturas embrionárias do Corporate Performance Management.
    Sua função fundamental é permitir que as empresas tenham acesso rápido, facilitado e confiável às suas informações sem gerar impacto negativo às operações das empresas.
    Construídas sobre estruturas de banco de dados gerenciais como Datamarts e Datawarehouses, as soluções de BI permitem que os profissionais das áreas de negócio tenham acesso as informações da organização sem depender da intervenção direta da área de Tecnologia da Informação. Desta forma, a preocupação com a construção e entrega de cada relatório ou análise para seus usuários é eliminada, concentrando os esforços na construção e aperfeiçoamento de um ambiente fácil e intuitivo para seus usuários.
    As ferramentas de Business Intelligence podem ser divididas basicamente da seguinte forma:
    • Ferramentas Query & Reporting – também chamadas de ferramentas de Consulta e Reporte, estas ferramentas são utilizadas para construção e execução de extrações periódicas de informações com médio ou alto grau de detalhamento, como por exemplo, uma réplica do pedido de compra dos clientes, ou o cadastro de fornecedores de um determinado tipo. Estas ferramentas permitem que os usuários construam relatórios através de comandos simples como clicar e arrastar, que na verdade vão definindo uma sentença de linguagem de banco de dados, que é transparente ao usuário. Desta forma, o usuário constrói queries simples ou complexas que serão executadas no banco de dados sem necessariamente digitar uma linha de código.
    • Ferramentas OLAP – On-line Analytical Processing – são ferramentas de análise e exploração de dados e são utilizadas para trabalhos mais interativos e de caráter investigativo. Este tipo de ferramenta normalmente contém um grau de detalhamento menor do que o das ferramentas de consulta e reporte. Em contrapartida, permitem que as informações sejam cruzadas, detalhadas e resumidas de maneira rápida e em geral sem necessidade de novas consultas ao banco de dados, uma vez que as informações são calculadas ou agregadas de maneira independente dos bancos de dados relacionais, seja através de arquivos ou de estruturas lógicas em bancos de dados especiais.

    Vídeo Comercial: http://www.totall.com.br/bi/videos/apresentacao.html
    Referência: http://www.bigroup.com.br/web/site/default.asp?id=3

    Charles Sales Bicalho

  3. Business Intelligence

    Enquanto as organizações se esforçam para obter mais lucratividade e crescimento, a pressão se concentra no fornecimento de informações mais rápidas e melhores a um número cada vez maior de usuários de negócios, analistas e tomadores de decisões. Todos querem ter acesso a informações confiáveis, no momento em que precisam delas, para que possam tomar decisões eficazes.

    O SAS Business Intelligence tira proveito da arquitetura integrada do SAS para fornecer informações empresariais consolidadas e precisas no momento certo, às pessoas certas, e em um formato em que elas possam ser mais bem aproveitadas. Ele também está aberto aos poderosos recursos analíticos exclusivos do SAS, para que os analistas e gerentes de negócios possam integrar análises do passado em modelos precisos e previsões do futuro.

    Com sua arquitetura flexível, dimensionável e aberta, o SAS Business Intelligence garante que os aplicativos desenvolvidos por você hoje continuarão a atender suas necessidades no futuro, apesar das modificações em hardware e sistemas operacionais, das exigências de negócios novas e desafiadoras, e do crescimento contínuo nos volumes de dados e usuários. Nossos recursos suportam um grande número de usuários, do casual ao mais técnico, e podem disponibilizar conteúdo a um amplo grupo de clientes, garantindo que a inteligência seja fornecida da maneira mais apropriada e eficaz possível.

    Com um ambiente de desenvolvimento personalizável, um conjunto de interfaces e serviços de suporte flexível e dimensionável, assim como aplicativos predefinidos para o fornecimento de informações, o SAS Business Intelligence fornece componentes importantes para o processo completo de criação e fornecimento de inteligência:

    Acesso fácil a dados empresariais consistentes e de qualidade.
    Para usuários de negócio – acesso rápido e eficiente a dados globais e altamente resumidos por meio do OLAP (processamento analítico on-line).
    Exploração interativa de dados com analíticos integrados e poderosos.
    Análise e geração de relatórios ad hoc, com base na Web.
    Disponibilização de conteúdo através de portais com base na Web, canais de publicação/assinatura e dispositivos wireless.
    Um ambiente de desenvolvimento robusto e abrangente que permite aos programadores fazerem uma conexão com as potencialidades do SAS a partir de outras linguagens de programação e aplicativos.
    O SAS é o fornecedor de business intelligence líder do mercado. Ao contrário dos outros fornecedores de software, o SAS oferece uma estrutura integrada para data warehouse, analíticos e business intelligence que fornece insights e inteligência de valor agregado a toda sua empresa.

    Título: SAS – Business Intelligence
    Site:http://www.sas.com/offices/latinamerica/brazil/technologies/bi/index.html

  4. Aplicativo baseado em Business Intelligence

    O termo Business Intelligence (BI), pode ser traduzido como Inteligência de negócios, refere-se ao processo de coleta, organização, análise, compartilhamento e monitoramento de informações que oferecem suporte a gestão de negócios (Wikipédia, 2008). O BI é uma importante ferramenta aliada das organizações que as auxilia para anteciparem às mudanças e tendências do mercado, criando um diferencial na competitividade.

    A empresa MicroStrategy, tem uma solução de software baseado em Business Intelligence para atendender as organizações que desejam ter esse diferencial, o MicroStrategy 8. Conforme MicroStrategy Brasil (2008), “as soluções de BI da MicroStrategy possibilitam um desempenho aprimorado e mais previsível dos negócios, disponibilizando a todas as pessoas que atuam nas atividades da empresa informações que podem ser convertidas em ação.” Essa tecnologia disponibiliza uma variedade única de recursos de monitoramento, relatórios e análises dentro de uma única arquitetura, o que permite tomar melhores decisões e atingir as metas do negócio (MICROSTRATEGY BRASIL, 2008). A plataforma trabalha com 5 estilos de BI para suportar diferentes necessidades, das análises profissionais avançadas ao consumo de informações básicas, dos quais destacam-se abaixo:

     Scorecards & Dashboards: Formatos com qualidade profissional com excelente impacto visual que transportam as informações chamando a atenção imediata dos gerentes e executivos;

     Relatórios Empresariais: Formatos de relatórios com qualidade de impressão superior que fornecem informações operacionais mais detalhadas que um scorecard ou dashboard. Formato conciso que pode ser utilizado por todos os usuários do mundo dos negócios;

     Análises OLAP: Análise “slice-and-dice” com drilling, pivoting, page-by e recursos de classificação que auxilia o gerente ou usuário que precise realizar análises que vão além dos relatórios operacionais padrão;

     Análise Avançada & Preditiva: Ampla consulta investigativa no data warehouse até o nível transacional, permitindo que os usuários mais exigentes e analistas profissionais realizem extensas análises estatísticas e preditivas;

     Alertas & Notificação Pró-Ativa: Entrega de informações a grandes populações de usuários, internos e externos à empresa, com base em programas, exceções ou exigência de negócios (MICROSTRATEGY BRASIL, 2008).

    REFERÊNCIAS

    WIKIPÉDIA. Business intelligence. Disponível em:
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Business_intelligence. Acesso em: 29 nov. 2008.

    MICROSTRATEGY BRASIL. Soluções: os 5 estilos de Business Intelligence. c2008. Disponível em: http://www.microstrategy.com.br/Solutions. Acesso em: 29 nov. 2008.

  5. SHORT PAPER: Aplicativo para BI

    APLICATIVO: JUSTIÇA INTELIGENTE

    O Tribunal Regional Federal dos estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo implantou um BI que permite aos juízes enxergar os processos de forma estratégicas e acelerar sua tramitação.

    O BI desenvolvido pela área de tecnologia do tribunal regional federal dos dois estados resolveu então criar um data warehouse com os dados provenientes das duas bases de dados de acompanhamento processual. Depois, foram criados os data marts. Como ocorre nos BIs de empresas, no tribunal cada data mart cobre um “processo corporativo” específico: movimentação processual, atividades dos juízes, processos concluídos e acervo em tramitação.
    Para evitar problemas de compatibilidade, ficou decidido que o data warehouse seria construído sobre plataforma Unix, que roda o banco de dados Ingres 2. A alimentação do data warehouse foi feita em duas etapas. Uma primeira carga teve o objetivo de transportar os dados históricos. Na seqüência, o software foi programado para extrair e realimentar diariamente o sistema, com a finalidade de manter as informações atualizadas. A ferramenta Olap escolhida foi o Analysis Services, da Microsoft, fornecida com a licença do Microsoft SQL Server 2000 Enterprise.
    A parte mais peculiar do projeto foi a escolha da ferramenta de visualização. Como a principal necessidade era permitir que os juízes analisassem o estoque de processos por meio de gráficos. O software escolhido software Chart Enterprise, da fornecedora holandesa Dundas, que trabalha em parceria com produtos Microsoft. A aplicação web foi desenvolvida sobre plataforma .Net.
    Atualmente, o portal atende 27 desembargadores, 121 juízes titulares e 77 juízes substitutos, distribuídos entre oito turmas especializadas do TRF, 130 varas federais e juizados especiais. Uma das vantagens é a facilidade que os juízes ganharam para tomar decisões, controlar o volume de processos e estabelecer metas de julgamento. Como o portal é totalmente web, as informações são públicas. Ganha também a sociedade, que pode acompanhar com transparência a produtividade dos juízes.

    O aplicativo possibilita que juízes e desembargadores localizem e classifiquem em tempo real os processos por tipo de causa, duração, perfil dos autores e dos réus. Assim, eles conseguem visualizar os processos de formas qualitativa e quantitativa. O BI ajuda o juízes a trabalhar com mais previsibilidade.
    Mais que isso, o sistema ajuda cada juiz a criar, por meio de indicadores, sua própria meta de produtividade, ou seja, o ritmo de tomada de decisão, já que existem 900 mil processos à espera de julgamento no TRF da 2ª Região. Alguns tramitam há dez anos.
    A criação desse BI também atende a uma exigência do Conselho de Justiça Federal, que pretende ampliar o controle sobre a produção dos tribunais, oferecendo mais transparência para o público.

    REFERÊNCIA

    info Corparate. Justiça Inteligente. Disponível na internet:
    http://info.abril.com.br/corporate/business-intelligence/justica-inteligente.shtml. Acesso em: 20 nov. 2008.

  6. Business Intelligence

    Business Intelligence: O que é – Business Intelligence é um conjunto de processos que você realiza no seu negócio de modo a torná-lo mais eficiente. A eficiência vem do fato de que suas decisões partem de dados que são analisados. Ao invés de decidir por intuição ou pela percepção do que acontece, você passa a decidir baseado em informações, em dados que são colhidos no seu próprio negócio e fora dele. A maioria dos dados é obtida por meio de ferramentas de automação comercial.
    BI – Business Intelligence
    Business Intelligence refere-se ao processo de coleta, organização, análise, compartilhamento e monitoração de informações que oferecem suporte a gestão de negócios.

    Também denominado Inteligência de Negócios, o BI é um conceito que surgiu na década de 80 introduzido pelo Gartner Group que descreve a capacidade das organizações em acessarem dados e explorarem as informações geralmente presentes em um Data Warehouse/Data Mart. Ao mesmo tempo essas informações são analisadas, desenvolvendo interpretações que permitem tomadas de decisões mais assertivas e consistentes.
    Em termos gerais, as soluções de BI dividem-se em duas ferramentas:
    -Query & Reporting – ferramentas de consulta e reporte utilizadas para execução e extração periódica de informações com médio ou alto grau de detalhamento. Possibilita a construção de relatórios através de comandos simplificados (clicar e arrastar);
    -OLAP – On-line Analytical Processing – ferramentas de análise e exploração de dados utilizadas para atividades mais interativas e investigativas. As informações trabalhadas possuem um grau de detalhamento menor do que nas ferramentas Query & Reporting, porém possibilitam o cruzamento, detalhamento e resumo de dados de maneira mais rápida.

    REFERÊNCIAS

    BISOFTWARE. Business intelligence. Disponível em:
    . Acesso em: 02 Dez. 2008.

  7. Atualmente armazenamos todo o tipo de informação pertinente ao nosso negócio. O que fazer com dados que não se cruzam diretamente? A proposta do BI, Business Intelligence, é transformar esses conjuntos de dados em informações úteis.
    O BI não substitui os sistemas existentes, e sim aproveita os dados gerados por esses, integrando-os e transformando em valiosas informações.
    O BI teve inicio na década de 70, mas devido a intensa necessidade de programação e processamento não disponibilizavam a informação em tempo hábil e nem de forma flexível, além do alto custo.

    Os sistemas de BI atuais têm como características: [João Sidemar Serain, 2007]
    • Extrair e integrar dados de múltiplas fontes
    • Fazer uso da experiência
    • Analisar dados contextualizados
    • Trabalhar com hipóteses
    • Procurar relações de causa e efeito
    • Transformar os registros obtidos em informação útil para o conhecimento empresarial
    “As empresas necessitam mais do que nunca de um sistema de suporte à decisão eficaz e relevante, que tenha condições de gerir uma unidade de negócio de forma continuada para quase todos os níveis ou áreas da empresa. Por isso, para alguns setores como telecomunicações, bancos, seguros, cartões de crédito ou outro tipo de negócio que envolva um volume muito grande de informação, o uso destas soluções em BI torna-se cada vez mais essencial para sua sobrevivência no mercado” [João Sidemar Serain, 2007].
    Uma ferramenta de BI permite alcançar um melhor desempenho a nível estratégico, táctico e organizacional, acrescentando informações essenciais para auxiliar no processo de decisão de qualquer empresa em qualquer decisão a ser tomada diariamente.
    Acredito que futuramente uma ferramenta de BI será indispensável a qualquer negócio, independente de tamanho, e que não deve ser vista como uma ferramenta custosa e sim como uma ferramenta de grande investimento a médio e longo prazo. É uma área relativamente nova na informática, com muitas oportunidades a serem trabalhadas e que necessita de investimentos e de pesquisas para juntamente com as novas tecnologias de banco de dados e web 2.0, por exemplo, tornarem-se ferramentas ainda mais eficientes.
    http://www.microsoft.com/portugal/bi/default.mspx
    http://www.siemens.com.br/templates/coluna1.aspx?channel=2920
    http://discussionleader.hbsp.com/davenport/2008/12/10_principles_of_the_new_busin.html
    http://imasters.uol.com.br/artigo/5415 [João Sidemar Serain, 2007].
    http://www.bi.mccomputadores.com/vantagens.htm

  8. Pesquisando sobre BI encontrei um link da Harvard Bussines Publishing, que creio que seja a revista de Harvard e com um artigo de Tom Davenport, que pelo currículo deve ser um dos formadores de opinião mundiais no assunto.

    Enfim, o artigo dele tem o titulo de – 10 princípios da nova Inteligência dos Negócios (BI) e foi postado dia 01/dez/2008.

    Achei interessante e traduzi, junto do Google tradutor, os 10 princípios, conforme abaixo, com certeza deve ter algum errinho, mas da pra entender bem se souber do conceito básico de BI.

    A fonte:
    http://discussionleader.hbsp.com/davenport/2008/12/10_principles_of_the_new_busin.html

    A tradução dos 10 princípios:

    1. As decisões são as unidades de trabalho a que iniciativas do BI devem ser aplicadas.
    2. Proporcionar o acesso a dados e ferramentas não são suficientes se quiser assegurar que as decisões sejam efetivamente melhoradas.
    3. Se você estiver fornecendo dados para uma tomada de decisão, deve-se fornecer apenas aquilo que é necessário para tomar a decisão.
    4. A relação entre a informação e decisão é uma escolha que a empresa deve fazer.
    5. “Loosely coupled” (pelo que entendi, Loosely coupled são informações com poucas informações para se cruzarem os dados) relacionamento entre decisão e informação são eficientes para dispor informações (portanto, muitas decisões podem ser tomadas), mas não muitas vezes são as melhores decisões.
    6. O relacionamento mais interessante implica na decisão que envolva a “estrutura humana”, onde o homem continua a dar a decisão final, mas a informação específica utilizada para tomar a decisão é posta à disposição de maneira apresentável pra quem irá tomar a decisão.
    7. Você não pode determinar especificamente o valor do BI ou dos dados armazenados, somente se estiver ligada a uma iniciativa para melhorar a tomada de decisão. Caso contrário, você não tem idéia de como as informações e ferramentas estão sendo utilizadas.
    8. Quanto mais próximo você deseja cruzar informações e decisões, mais especificamente você tem que se concentrar na determinada decisão
    9. Os esforços para criar “uma versão da verdade” são úteis na criação de melhores decisões, mas pode-se gastar muito tempo e dinheiro com esse objetivo de retorno incerto, a menos que você esteja muito dedicado(forneça muita informação, dados) para fazer do resultado a decisão correta.
    10. Os resultados de Business Intelligence serão cada vez mais atingidos por soluções TI específicas para determinadas indústrias e suas decisões.

    Eu gostei! Espero que tenha ajudado.

    Chico

  9. Um case de sucesso – Visanet

    Relatório de Análise de Uso de Sites
    A Situação: Atuando no mercado brasileiro desde 1995, a VISANET é uma empresa especializada em meios eletrônicos de pagamento, oferecendo serviços de monitoramento, captura e processamento de transações eletrônicas para a Visa Vale, bandeiras particulares e instituições financeiras.
    Para analisar o uso de sua intranet decidiu investir em um sistema de Business Intelligence (BI). Esta intranet foi desenvolvida com as tecnologias Microsoft SharePoint Portal Server 2003 – SPS e Microsoft Content Management Server 2002 – CMS, ou seja, parte do conteúdo da intranet é publicado pelo SPS e parte do conteúdo CMS. Para analise dos dados era necessária a consolidação dos arquivos de log gerados por essas duas ferramentas e a geração de um banco de dados multidimensional para consulta a partir de um relatório dinâmico, com isso a VISANET optou por contratar um parceiro especializado na implementação de soluções de BI. O objetivo era desenvolver um relatório dinâmico para analise de uso da intranet.

    A Solução: De acordo com a metodologia Microsoft Solutions Framework – MSF o projeto foi dividido em cinco fases: visão, planejamento, desenvolvimento, estabilização e implantação. A solução envolveu a construção de um Data Mart para consolidar as informações dos arquivos de log. Esse Data Mart é carregado por um processo de extração, transformação e carga desenvolvido com o serviço Data Transformation Services – DTS do Microsoft SQL Server 2000. A análise dos dados é feita com o uso de um relatório dinâmico (Pivot Table) publicado em um site WSS na intranet da VISANET. Este relatório consome informações de cubos OLAP construídos na plataforma Microsoft SQL Server 2000 Analysis Services.

    Os Benefícios: A implantação de um relatório analítico de uso de sites, apoiado em uma solução de BI, permitiu avaliar o volume de acessos à intranet, em diferentes dimensões, como por exemplo, dimensão de usuários, áreas da Intranet, etc e ajuda a equipe de marketing na estimulação do uso da intranet.

    Produtos envolvidos: Microsoft Office Web Components, SQL Server 2000 (Analysis Services, DTS), SharePoint Portal Server 2003, Content Management Server 2002.

    Serviços envolvidos: Projeto da Arquitetura da Solução, Customização site WSS para hospedar o relatório dinâmico, Desenvolvimento dos Cubos OLAP e Desenvolvimento do processo de extração, transformação e carga.

    Referência:
    K2M Soluções. Caso de Sucesso: VISANET. Disponível em: http://www.k2m.com.br/cases/bi/caso_visanet_bi.htm. Acesso em: 02/12/08.

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: